segunda-feira, 28 de março de 2011

O Calvinismo como Sistema de Vida na Perspectiva de Abraham Kuyper


Para Kuyper (2003) o Calvinismo “não é um fenômeno parcial, nem foi um fenômeno simplesmente temporário, mas é um sistema de princípios abrangente que, enraizado no passado, é capaz de fortalecer-nos no presente e de encher-nos com confiança para o futuro” (p. 28).

Há condições essenciais requeridas para sistemas gerais de vida, tais como o Paganismo, o Islamismo, o Romanismo e o Modernismo. Analisando as três relações fundamentais de toda vida humana – “[...] a saber, (1) nossa relação com Deus, (2) nossa relação com o homem, e (3) nossa relação com o mundo” (Ibidem). – percebemos que o Calvinismo preenche todas as condições com superioridade.

Na relação do homem com Deus, constatamos que o Paganismo vê Deus na criatura, enquanto que o Islamismo separa Deus da criatura; o Catolicismo coloca a igreja entre Deus e a criatura, e o Modernismo ou nega uma relação (existência) com Deus, ou reveste-se de algum sistema como o panteísmo ou agnosticismo, visando aniquilar o poder da igreja e manter sua relação de independência. Somente no Calvinismo, Deus se comunica com a criatura de forma imediata em “Deus o Espírito Santo” (KUYPER, 2003, p. 30).

No relacionamento do homem com o homem, tendo em vista a multiformidade da raça humana, tanto o Paganismo quanto o Islamismo e o Catolicismo, acentuam as diferenças, criando todo tipo de hierarquia e opressão, enquanto que o Modernismo procura eliminar todas as diferenças, destruindo “[...] a vida por colocá-la sob a maldição da uniformidade.” (KUYPER, 2003, p. 35). Apenas o Calvinismo, de acordo com Kuyper (2003), por derivar sua relação do homem com o homem de sua própria relação com Deus:

[...] coloca toda nossa vida humana imediatamente diante de Deus, então segue-se que todos, homem ou mulher, rico ou pobre, fraco ou forte, obtuso ou talentoso, como criatura de Deus e como pecador perdido, não tem de reivindicar qualquer domínio sobre o outro, e que permanecemos iguais diante de Deus, e conseqüentemente iguais como seres humanos (p. 35, 36).

Desta feita, a única distinção entre os homens a ser reconhecida, é aquela que o próprio Deus estabeleça quando confere “[...] a um autoridade sobre o outro, ou enriquece um com mais talentos do que o outro, para que o homem de mais talentos sirva o homem de menos, e nele sirva o seu Deus” (KUYPER, 2003, p. 36). Assim, o Calvinismo condena as desigualdades impostas e dignifica a pessoa, operando transformações sociais.

Na terceira condição, a qual analisa nosso relacionamento com o mundo, o Paganismo coloca uma relação muito alta do mundo, enquanto que o Islamismo mantém uma muito baixa. O Catolicismo coloca a igreja e o mundo em total oposição, sendo o primeiro santificado e o outro estando ainda sob a maldição; o Calvinismo, porém, ao enxergar o mundo como criação de Deus e entender a relação entre graça especial e graça comum, percebe com clareza seu papel nesta criação, servindo a Deus no mundo e louvando-O por Suas obras, enquanto que fazendo separação apenas daquilo que é pecaminoso no mundo.

O desenvolvimento destas relações na vida prática traz conseqüências suficientes para estabelecer o Calvinismo acima de todos os outros sistemas de vida.


Nelson Ávila

_____________________________________

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

KUYPER, Abraham. Calvinismo. São Paulo: Cultura Cristã, 2003.

4 comentários:

  1. Muito bom esse texto irmão!

    Curto e objetivo.

    Lembro-me da primeira vez que tive contato com o Kuyper (O calvinismo) Fiquei surpreso pela habilidade da análise que ele faz dos principais sistemas atuantes no mundo (Cosmovisão).

    Todo cristão bom da cabeça deveria lê-lo.

    Nele, Cleiton Almeida.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelo comentário irmão Cleiton, realmente este livro é muito bom. Tive que desenvolver recentemente um trabalho referente a cosmovisão de Abraham Kuyper e expor sua abordagem das várias esferas da vida. Em breve estarei postando mais sobre como o Calvinismo se relaciona com a Política, Ciência, Arte etc...
    Deus o abençoe!
    Nelson Ávila.

    ResponderExcluir
  3. A abordagem de Abraham Kuyper ao calvinismo é fascinante. Fico imaginando o que seria do Brasil se tivéssemos uma realidade dessas aqui. Eis aí uma coisa sobre a qual o povo de Deus poderia pensar com carinho, e deixar de dar ouvidos a teologias falidas como o tal "evangelho social", ora reciclado e com embalagem nova, na forma da pretensa "missão integral".

    Muito obrigado por mais esse 'post', Ir. Nelson!

    Vanderson M. da Silva.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelo comentário Irmão Vanderson, assino em baixo de tudo o que você disse!
    Abrçs.
    Nelson Ávila.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...